Pioneirismo em Sustentabilidade

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A Cúpula dos Povos não é "mais do mesmo"

Cúpula dos Povos: o que é e o que não é

Posted: 14 Feb 2012 10:22 AM PST

Para tentar organizar o caos: a Cúpula não é diretamente ligada à Rio+20 oficial, mas sim um contraponto (foto: Jelle Druyts/CC BY-NC-ND 2.0)

Economia verde, falsas soluções, desenvolvimento sustentável, REDD, colapso do planeta, mercantilização da natureza, Cúpula dos Povos, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD), Riocentro, Aterro do Flamengo. A avalanche de termos que surgem quando se fala de Rio+20 pode deixar confuso até o mais esclarecido dos cidadãos. Como tentativa de sanar esse problema em potencial e de organizar as mentes que pensam sobre o futuro do planeta, compilamos aqui uma série de elementos que definem o que a Cúpula dos povos é – e o que não é.

A Cúpula dos Povos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental, contra a mercantilização da vida e em defesa dos bens comuns, é:

  • Um evento a ser realizado entre 15 e 23 de junho de 2012 no Aterro do Flamengo (Rio de Janeiro), organizado por entidades da sociedade civil brasileira e internacional.
  • Um contraponto à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD) – a Rio+2o oficial –, com críticas ao modo como os governos têm tratado as questões socioambientais e com propostas para evitar um colapso global.
  • Um evento paralelo e independente da Rio+20 oficial.
  • Crítica ao conceito de economia verde, palavra-chave da conferência oficial da ONU. A organização da Cúpula considera esse conceito insatisfatório para lidar com a crise do planeta, causada pelos modelos de produção e consumo capitalistas.
  • Uma oportunidade de tratar dos problemas enfrentados pela humanidade de forma efetiva.
  • Demonstração da força política dos povos organizados.
  • Um espaço de experimentação e visibilização concreta das práticas que queremos ver no mundo.
  • Anticapitalista, classista, antirracista, antipatriarcal e anti-homofóbica.
  • Um chamado para reinventar o mundo.
  • Um evento dos e para os povos.
  • Um espaço sem presença de corporações.
  • Uma afirmação do direito aos bens comuns.
  • Uma referência ao Fórum Global, evento organizado pela sociedade civil que aconteceu durante a Eco 92, a Cúpula da Terra, também no Aterro do Flamengo.
  • Parte de um processo de acúmulos históricos e convergências das lutas locais, regionais e globais.

A Cúpula dos Povos não é:

  • A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD). Ou seja, a Cúpula dos Povos não é a Rio+20 oficial, organizada pela ONU.
  • Ligada à Rio+20 oficial ou à Organização das Nações Unidas, de qualquer forma. Algumas organizações presentes na Cúpula também têm cadeiras na conferência oficial, mas o evento é em si autônomo e independente.
  • Um espaço de corporações ou de mercantilização da natureza.
  • Um lugar de falsas soluções, mas de soluções já criadas pelos povos para os problemas vividos hoje no planeta.
  • Intergovernamental, mas internacional.
  • Uma reafirmação da economia verde como solução para o desenvolvimento sustentável – ao contrário.
  • Mais do mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor identifique-se, onde diz comentar como: escolha as opções, ou poste em Nome/URL. Não responderei perguntas anônimas. Obrigado.
Por favor identifiquese, donde dice comentar como:
elija una de las opciones, o poste en Nome/URL. No
contestare preguntas anonimas. Gracias